Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

A situação brasileira vista sob o contexto da histeria da direita

por Amato, em 18.03.16

O Brasil vive um momento difícil mas que não lhe é particular. Aquilo que o Brasil vive é o mesmo que vive a Venezuela e outros estados sul-americanos em escalas diferentes. Também é algo aparentado ao que se passa agora na Síria e que também se passou na Líbia. Sob um certo ponto de vista, também encontramos semelhanças com o processo recente de formação do governo português. Chama-se terrorismo político, perpetrado pelas forças reacionárias e conservadoras.

 

A resposta que a direita capitalista encontra para fazer face a derrotas eleitorais-democráticas é a histeria sob pretextos artificialmente criados e amplificados pelos meios de comunicação social a soldo do poder económico. Não há qualquer tipo de dúvida de que membros do PT estarão envolvidos em processos de corrupção, mas casos piores verificam-se com os membros da oposição, nomeadamente com o PSDB, cujos membros se encontram enterrados até ao pescoço em cada um dos casos que vieram a público. O caso “mensalão” é, para mim, bastante paradigmático, porque todos tinham conhecimento das malas de dinheiro que serviam para comprar congressistas, mas o mundo apenas acordou para a situação e ficou chocado quando o PT fez uso do mesmo esquema. Adicionalmente, as forças de direita unem-se e compram apoios em toda a parte, juntando-se ao sistema de justiça para levar a cabo golpes de estado.

 

A direita, as forças conservadoras e retrógradas protetoras dos interesses dos poderosos, daqueles 5% que detêm 95% da riqueza do mundo, está histérica e cheia de medo. A direita está histérica não por estar a perder particular influência no mundo, mas porque não se pode dar ao luxo de perder qualquer tipo de influência no mundo contemporâneo que lhe escorrega por entre as mãos a olhos vistos. A ascensão da China e da Índia concorrem para uma diminuição substancial da área de exploração potencial do diretório de potências capitalistas ocidental e atribuem a mercados como o sul-americano uma condição de imprescindível para a sua sobrevivência.

 

A razão de ser da crise brasileira é esta. O contexto para a crise brasileira é este. Não é a corrupção, nem a crise económica. É este.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Amato

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Mensagens