Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

"Exames" são sinónimo de exigência?

por Amato, em 16.01.16

A propósito das alterações operadas pelo novo governo no sistema de avaliação dos alunos no ensino básico, tenho lido artigos de opinião tremendos em termos vacuidade. São contribuições absurdas para o debate, sem um pingo de lógica ou de bom senso e parecem estar a ser vertidas descontroladamente por uma torneira reacionária qualquer.

 

Por ser tão fácil encontrar os artigos aos quais me refiro, vou-me abstrair de colocar nomes neste texto. A tónica geral do discurso é colocada na questão da “exigência”. O novo sistema sem exames não é exigente e a afirmação é apresentada assim mesmo como uma verdade evidente, como uma noção comum dos Elementos de Euclides. Leiam-se os artigos que têm vindo a poluir as entranhas dos jornais ao longo das últimas semanas. Ouçam-se as opiniões emitidas nos debates televisivos.

 

No último artigo que li, o qual creio não ser o único a advogar tal posição, ensaiava-se uma espécie de argumento segundo o qual a existência de exames torna-se fundamental para impedir a ociosidade e a preguiça dos professores que, segundo a autora, apenas trabalham e preparam os seus alunos se tiverem exames em vista. E é isto! A argumentação sobre a existência ou não de exames, sobre o modelo mais geral para avaliação dos alunos resume-se, no máximo, a argumentos desta natureza que ofendem o brio e o profissionalismo da classe dos professores. Está tudo dito.

 

Nada disto é anormal, todavia. A nossa sociedade (sobre)vive num clima de permanente suspeita e desconfiança e a classe profissional dos professores, que devia ser entendida como um verdadeiro farol de cultura, pela sua formação e relevância, não é exceção sendo constantemente humilhada com opiniões deste tipo.

 

Por outro lado, é também normal ver nos outros os defeitos próprios. É normal que a jornalista que escreveu o artigo em causa veja nos professores o laxismo que, eventualmente, reconhece em si própria quando não é controlada. Por ventura, é essa jornalista que, eventualmente, precisa de ser constantemente avaliada e ter os seus chefes sempre à sua perna para desenvolver o seu melhor trabalho e, por isso, julga que os professores devem ser avaliados pelo mesmo referencial.

 

Existe, contudo, uma questão basilar: em geral, os professores têm cursos superiores e mestrados, formações científicas e pedagógicas sólidas. E mais, a maioria dos professores não está a trabalhar pelo sobrenome ou pela cor dos seus olhos. A maioria dos professores está a trabalhar onde está a trabalhar pelo seu mérito profissional, nota de curso e experiência. Isto que refiro pode parecer uma alucinação nos dias que correm e no país em causa mas é a realidade. E esta realidade faz toda a diferença.

 

"Exames" são sinónimo de exigência? Os nórdicos são pouco exigentes por estarem a abolir os exames? Os seus professores são preguiçosos? Será que temos que criar exames para os médicos, para os engenheiros e demais profissões para evitarmos a preguiça?

 

Seria urgente elevar o nível do debate. Seria, se não fosse esta uma estratégia costumeira para não se discutir nada com seriedade e para alimentar mentalidades obscuras.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Amato

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Mensagens