Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

O PCP cai sempre que nem um patinho

por Amato, em 22.04.17

Uma vez mais, o Bloco de Esquerda veio ao parlamento com um voto de condenação, desta feita baseado num rumor sem qualquer tipo de fundamento sobre um suposto campo de concentração para homossexuais na Chechénia. A própria fonte em que se baseia não confirma a existência de um tal campo. Mas o Bloco de Esquerda é mesmo assim, o que se há de fazer? É a sua natureza: é um partido de votos de condenação, é um partido de tomadas de posição sobretudo sobre questões mediáticas e capazes de potenciar a sua visibilidade.

 

Tomar posição é positivo, bem entendido, mas quando se o faz à pressa, na vertigem do mediatismo, apenas se demonstra falta de maturidade e falta de bom senso. Mas o Bloco de Esquerda é isto mesmo, é um partido que vive destas questiúnculas porque não se afirma ideologicamente no que realmente importa. Ora é a favor da moeda única, ora é contra; ora Sá Fernandes é um grande homem para a câmara de Lisboa, ora não é; ora o SYRIZA é um modelo de partido de esquerda moderna, ora não é. E mais: o BE está-se completamente a marimbar para as consequências diplomáticas de um voto de protesto parlamentar infundado e ofensivo a países estrangeiros soberanos. Este comportamento é mais próprio de garotagem que quer aparecer a todo o custo do que propriamente de pessoas de responsabilidade.

 

Mas a verdade é que isto tão pouco interessa. Com este voto, o BE marcou posição mediática. Isto é que era importante. A sociedade dos likes e dos shares adora estas coisas, vive para isto, emociona-se e revolta-se com estas palhaçadas fabricadas. Os outros partidos, os do arco do poder, sempre conscientes da importância do ficar bem na fotografia, sobretudo se se trata de homossexualidade — uma matéria sobre a qual uma grande parte da sociedade se efervesce facilmente —, também votaram a favor do tal voto de protesto sobre um suposto campo de concentração de cuja existência ninguém confirma. Incrivelmente, o único partido que disse “Eh pá, mas agora estamos a votar rumores da internet no parlamento?” e teve a correção de se abster desta fantochada, o PCP, veio afinal a ser enxovalhado de tudo pela sua ação na praça pública mediática. O DN, por exemplo, diz, em gordas, Parlamento - PCP abstém-se na "condenação da perseguição" de LGBT na Chechénia. Repare-se que o voto de condenação proposto pelo BE não visava a perseguição de homossexuais mas sim a existência de um campo de concentração, facto tão confirmado quanto a existência de uma fábrica de brinquedos operada pelo Pai Natal e seus elfos na Lapónia. Todavia, quem lê frases deste género fica, na verdade, com uma péssima imagem do Partido Comunista Português e isto é o que ultimamente mais conta.

 

Uma vez mais, o PCP caiu que nem um patinho na armadilha montada. É daquelas armadilhas, todavia, que não há como fugir. Quem é minimamente sério não tem outro remédio se não cair nelas, de frente, de pé. O problema não é o PCP. O problema é esta sociedade de garotos e de canalhada que vive somente em frente ao facebook.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Amato

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mensagens