Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

Cultura de prepotência

por Amato, em 20.04.17

A juventude entra na faculdade e, ato contínuo, segue em rebanho para as chamadas praxes onde é sujeita a todo o tipo de enxovalhos e humilhações. É certo que também há retorno positivo, há amizades, engates, conhecimentos, mas a coisa é exatamente assim e, mais, uma coisa não devia estar relacionada com a outra. Os jovens sujeitam-se e aguentam as humilhações dia após dia, até ao final do primeiro ano. Resulta, quase em jeito de regra geral, que estes mesmos jovens começam o segundo ano de faculdade a infligir idênticos enxovalhos e humilhações aos caloiros do novo ano. Fazem-no porque fizeram-lhes igual. Fazem-no por vingança. Fazem-no porque veem nessa ação uma espécie de sentido estranho justificativo para o que sofreram no ano anterior.

 

Esta lógica social do ambiente relativamente circunscrito das universidades é transportada por decalque para outros ambientes sociais, nomeadamente para o mundo do trabalho. Na maioria dos locais de trabalho, os trabalhadores sofrem os maiores enxovalhos e humilhações por parte dos seus patrões. Estes últimos fazem abusivo uso do seu poder sobre os primeiros que deles dependem para a sua sobrevivência. Esta arrogância, esta prepotência, esta falta de correção e respeito no trato transporta-se na cadeia de comando, desde o patrão até ao último subordinado. É estranho que assim seja e que não ocorra uma quebra desta lógica em algum elo. É estranho que cada um dos trabalhadores interiorize que é assim que se deve tratar um subordinado, em última instância, um colega. Recordo o dito popular: “Não peças a quem pediu, nem sirvas a quem serviu”...

 

Há uma interiorização deste exercício do poder pelo poder que é transversal em toda a sociedade. Como se nos tratássemos uns aos outros por vingança, olho por olho, dente por dente. Por que é que agimos desta forma para com os outros? Porque outros agiram sobre nós dessa mesma forma. Não sei onde caberá aqui a ideia de não fazer aos outros o que não gostamos que nos façam a nós próprios.

 

Por que o fazemos? Porque já assim se fazia quando aqui chegámos. 

 

https://i.stack.imgur.com/MyQki.jpg

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Amato

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mensagens