Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

Porto de Amato

Porto de Amato, porto de abrigo do filho de Héracles

A inacreditável recondução de Jerónimo no PCP

por Amato, em 03.12.16

É inacreditável que o PCP reconduza Jerónimo de Sousa como Secretário-Geral do partido. Considero inacreditável e considero ser minha obrigação escrever sobre isso mesmo, por muito que isso me custe. Não está em causa a qualidade humana, como é óbvio. Está em causa a competência técnica e, sobretudo, física para o cargo.

 

Relativamente à competência técnica, é notável que Jerónimo de Sousa tenha aguentado doze anos à frente do partido, quando demonstra visíveis incapacidades no debate, no discurso, na entrevista, enfim, em todos os meios e veículos que permitem a divulgação da mensagem e das posições do partido. Jerónimo limita-se a repetir um discurso ensaiado de véspera, sem flexibilidade e sem talento para responder de improviso a uma pergunta qualquer. Quando improvisa, sai invariavelmente um dito popular qualquer, mais ou menos apropriado, normalmente menos. A melhor participação de Jerónimo de Sousa terá sido, com efeito, aquele debate de fevereiro de 2005 em que, logo de início, Jerónimo ficou afónico e... não falou. Agora prepara-se para mais um mandato.

 

Já no plano das capacidades físicas de Jerónimo, considero que esta decisão é de uma falta de sensibilidade que roça o desumano. Quem acompanha as campanhas eleitorais verifica como Jerónimo termina as mesmas: abatido, exausto, magro, sem voz... Acho difícil que os camaradas de Jerónimo não consigam ver isto. Com esta recondução de Jerónimo, o PCP parece estar a apelar a algo diferente do que a confiança política do povo. Parece que o PCP apela antes aos sentimentos das pessoas, à pena do eleitorado, arriscando-se, todavia, a ver num destes dias Jerónimo cair inanimado, sobre os braços de quem o vai levando, no meio de alguma arruada.

 

Repito, para ser muito claro: não está em causa o valor de Jerónimo de Sousa. O Secretário-Geral do PCP é uma figura respeitável e admirável pelo seu exemplo de vida, pelo seu percurso, pela sua dedicação, firmeza e coerência. Sob muitos pontos de vista, aliás, Jerónimo foi um líder muito bom e muito útil para o PCP: uniu as hostes, consolidou métodos, transmitiu uma imagem de confiança e de solidez, equilibrou vontades no seio do partido. Mais: Jerónimo é, por ventura, o líder mais simbólico que o PCP alguma vez já teve e que, quiçá, alguma vez terá, personificando o operário humilde que ascendeu pela sua experiência no meio do povo trabalhador e do movimento sindical, que se instruiu e que se cultivou. Mas isso, lamento muito dizê-lo, lamento muito em apontar o óbvio, já deu o que tinha a dar.

 

Todos aqueles que, direta ou indiretamente, contribuíram para esta solução, não poderão fugir às responsabilidades das consequências que dela resultarão. Não, não adianta escudarem-se na ladainha do costume, de que “somos um partido diferente” e outras frases de enchimento. Que eu saiba, o Partido Comunista Português não é o Vaticano. Até no Vaticano o penúltimo papa deu o lugar a outro por se sentir incapaz para a tarefa. Quem está à frente do Partido Comunista Português parece, contudo, não ter a mínima noção das coisas e, com isso, transmite uma péssima imagem para o povo que, de fora, acompanha a situação. Porque, convenhamos, não é boa propaganda para um partido que se diz contra a exploração dos trabalhadores que este explore até à última gota de sangue o seu próprio Secretário-Geral.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Amato

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mensagens